5 Usos incomuns da Energia Solar Fotovoltaica no Brasil - NHS
skip to Main Content

5 Usos incomuns da Energia Solar Fotovoltaica no Brasil

Energia Solar No Brasil

A luz e energia do sol estão em todo o lugar, por isso, se você acha que as placas solares estão só nos telhados de casas e empresas, precisa conhecer 5 usos incomuns da tecnologia no Brasil.

Independentemente do local, a luz do sol está sempre presente. Com a tecnologia dos painéis solares fotovoltaicos, é possível captá-la e transformá-la em energia elétrica.

No Brasil, cresce forte o uso dessas placas nos telhados. Casas e empresas, através dos sistemas de energia solar fotovoltaica conectados à rede, conseguem obter economia na conta de luz.

No entanto, com a busca por energia solar e a sustentabilidade que ela agrega, os painéis solares se tornaram a escolha para outras aplicações que necessitam de energia segura e limpa.

Conheça os 5 usos mais incrivelmente incomuns da energia solar no Brasil:

1. Cinema Solar

Uma van equipada com placas solares que viaja o Brasil para a exibição gratuita de filmes nacionais à população. Esse é o Cinesolar, projeto iniciado em 2013 e que até o momento já realizou 730 sessões pelo país.

Como as sessões são realizadas durante a noite, uma bateria é usada para armazenar a energia gerada durante o dia pelo painel. Dessa forma, garantindo a sustentabilidade e tornando a exibição dos filmes literalmente movida a energia solar.

O interior da van ainda conta diversos monitores que mostram, em tempo real, a quantidade de energia produzida pelo painel, assim como animações que explicam os princípios e aplicações da energia solar.

2. Árvores Solares

Durante a edição de 2017 do festival de música Rock in Rio, várias “árvores solares” foram utilizadas como estações de recarga USB para os celulares do público.

Chamadas de OPtress e com o formato parecido de uma palmeira, cada uma das cinco “folhas” da árvore solar conta com células fotovoltaicas para a captação da luz e conversão em energia elétrica.

Ao todo foram cinco árvores solares instaladas no espaço do festival. Como resultado, sua energia limpa ainda foi usada na para a iluminação do festival e para abastecer roteadores Wi-Fi e câmeras de segurança.

3. Usina Solar Flutuante

Um grande conjunto de placas solares instaladas sobre a superfície das águas de uma hidrelétrica. Pode parecer mentira, mas é uma realidade desde 2014 na cidade de Rosana, interior do estado de São Paulo.

Trata-se da primeira usina solar flutuante instalada no Brasil. Ela foi implantada sobre as águas da represa da hidrelétrica de Porto Primavera.

São dois conjuntos de painéis, um de módulos rígidos e outro de flexíveis. Cada um gerando até 25 quilowatts de energia e instalados em estruturas flutuantes.

4. Competição de Barcos Movidos a Energia Solar

Inspirados pela primeira edição do Frisian Solar Challenge, competição realizada na Holanda, uma equipe do Polo Náutico da Universidade Federal do Rio de Janeiro começou, em 2006, a construção do primeiro barco elétrico movido a energia solar do Brasil.

Após uma performance competitiva na edição de 2008 da Frisian, a equipe voltou ao país com um prêmio de incentivo para a recriação da competição em terras tupiniquins, assim nasceu o Desafio Solar Brasil.

A edição 2018 contou com 400 estudantes e 20 professores de diversos estados brasileiros. Distribuídos entre 16 equipes e 18 embarcações, todas equipadas com placas solares e baterias.

5. Estádios Com Energia Solar

Graças à instalação de vastos conjuntos de placas solares, cinco estádios de futebol brasileiros já conseguem unir a paixão nacional pelo esporte com a sustentabilidade da energia solar.

São eles: o estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro; o estádio do Mineirão, em Belo Horizonte; a Arena Pernambuco, em Recife; e os estádios de Pituaçu e a Arena Fonte Nova em Salvador.

Dessa maneira, o Mineirão é o que possui o maior sistema solar, com 6 mil placas gerando 1,42 megawatts. Assim como uma casa com energia solar, o excedente da energia gerada pela usina vai para a rede da distribuidora.

Segundo informações de Eco Debate

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top